logo_nova_mulher-p.png

Como saber se estou grávida? Reconheça os sinais do seu corpo


Enjoo, ganho de peso, mudanças de humor, você sabe reconhecer os primeiros sintomas da gravidez? Saiba tudo sobre exames pré-natal, alimentação para gestantes e tudo sobre esse momento super especial


A gravidez é um momento de mudanças profundas para todas as mulheres. Para algumas é um momento sublime, para outras uma fase bastante complicada, mas para todas elas é um evento marcante e de alterações muito acentuadas.


Mas você sabe reconhecer se está com os primeiros sintomas de gravidez?


Como saber se estou grávida

A gravidez acontece de fato de seis a doze dias após a fixação do óvulo fecundado ao útero. Isso pode levar até três dias para acontecer. Isso significa que do momento da relação sexual até a gravidez propriamente dita podem transcorrer até duas semanas.


Os primeiros sintomas da gravidez costumam aparecer a partir da quarta semana após a concepção, mas isso pode variar para menos e para mais. Algumas mulheres sentem a diferença nas primeiras semanas e outras não têm sintoma algum.


As mudanças no corpo da mulher com a gestação

Muita coisa muda no corpo de uma mulher quando ela fica grávida. Muito mais sangue corre por suas veias, sua pélvis começa a se abrir para se preparar, os órgãos se reorganizam para aconchegar o útero muito aumentado e depois o feto enquanto cresce.


Os cabelos podem ficar mais espessos, a pele ganha manchas, às vezes acne ou fica muito mais bonita e viçosa. Os mamilos podem passar a ter uma coloração diferente, seu intestino pode ficar preso.


A importância do pré-natal

Os exames pré-natal são de extrema importância a partir do momento em que a gravidez é descoberta e devem ser feitos com rigor até o fim da gestação. Esses testes podem ajudar a prevenir complicações e informar sobre medidas importantes que podem ser tomadas para proteger o bebê e garantir uma gravidez saudável.


Com o atendimento pré-natal regular, as mulheres podem reduzir o risco de complicações na gravidez ou de problemas futuros para a criança durante a gestação e após o nascimento. Por meio do pré-natal é possível também descobrir precocemente quaisquer condições especiais que o feto possa apresentar e criar um plano de tratamento precoce.


A primeira consulta pré-natal costuma acontecer por volta de 8 semanas de gravidez. Nas gestações sem complicações, as consultas pré-natais geralmente são agendadas no seguinte esquema:

  • Até a 32ª semana: uma consulta pré-natal por mês

  • Da 32ª à 36ª semana: uma consulta a cada 15 dias

  • A partir da 36ª semana: uma consulta por semana

Alimentação para gestantes: o que pode e o que não pode

Mulheres grávidas precisam se alimentar muito bem, de maneira balanceada e sem abusar de açúcar, sódio e gordura, tudo com bastante moderação e critério, afinal, um serzinho também se alimenta junto com você.


Uma alimentação rica em fibras, carboidratos com baixo índice glicêmico, proteínas magras e gorduras boas é excelente para as futuras mamães, mas é claro que um chocolatinho de vez em quando pode comer (em casos de gestações normais e sem complicações).


Porém, alguns alimentos não são recomendados para quem espera um bebê. São eles:

  • Carnes e ovos crus;

  • Frutas e legumes mal lavados;

  • Leite e queijo não pasteurizados;

  • Peixes com alto nível de mercúrio;

  • Ostras e mariscos;

  • Atum em lata;

  • Cafeína;

  • Álcool.

Quais chás podem ser consumidos na gravidez

Por conta dos enjôos, muitas gravidinhas gostam muito de tomar chás, mas por serem infusões de ervas, precisam de bastante critério na hora de serem escolhidos.


Chás que a gestante pode tomar

  • Chás de frutas, como maçã e ameixa, estão liberados. Além disso, chás como de camomila, erva doce, gengibre e capim cidreira costumam ser inofensivos, mas é melhor consultar seu médico antes de colocá-lo na xícara.

Chás que devem ser evitados

  • O chá verde está na lista dos que devem ser evitados, pois acelera o metabolismo e pode causar palpitações. A canela também não deve ser consumida, pois pode provocar contrações.

Diabetes gestacional e hipertensão: um grande risco

Duas doenças secundárias à gravidez estão entre as mais perigosas para mãe e bebê: o diabetes gestacional e a hipertensão.


O diabetes gestacional pode causar um ganho de peso além do normal no bebê, além de sobrecarregar o pâncreas da mãe. Após o corte do cordão umbilical, em mães diabéticas, o bebê passa a ter apenas o quantidade de glicose sanguínea produzida por ele mesmo, e não mais a da mãe. Por isso, ele pode apresentar episódios de hipoglicemia nas primeiras horas de vida, e a melhor forma de corrigir e evitar isso é a amamentação mais frequente.


Já a hipertensão é uma das causas da temida pré-eclâmpsia, que pode levar à eclampsia, que é o aparecimento de convulsões que podem levar até mesmo à morte da mãe.


As duas condições podem ser evitadas ou tratadas de maneira a minimizar os danos com um pré-natal correto. Afinal, esse acompanhamento não é apenas para cuidar da saúde do bebê, mas também para monitorar a boa saúde da mãe.


A beleza da mudança

Mudar é natural, mas se houver dores ou incômodos acentuados demais, procure seu médico, afinal, cuidado nunca é demais. Porém, lembre-se de que gravidez não é doença. Se a sua gestação for considerada normal e saudável , é possível levar uma vida perfeitamente normal nesse período, trabalhar, estudar e até mesmo se exercitar. Aproveite, esse momento é único e cada gravidez é diferente da outra.

logo-rodape-p.png

Rua do Bosque, 1621 - Ed. Palatino Cj 101 - Barra Funda - São Paulo CEP 01136-001

Contatos

11   3392-4208

Manda um Whats!
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube

© 2020 por Nova Mulher Clínica - Desenvolvimento Obla Digital