logo_nova_mulher-p.png

Ginecologia estética e a importância que tem sua vagina


O órgão genital feminino fica escondido, a palavra vagina é tida como feia e ela mesma é uma parte anatomicamente negligenciada, mas não pela ginecologia estética

Vagina, pepeca, perseguida, chavasca, florzinha, piriquita, passarinha, racha, aranha, pombinha, esfiha, tcheca, taturana, tchaca, xereca, xota, xana, prometida. Os nomes são muitos, alguns divertidos, outros delicados, mas muita gente tem vergonha até de falar o nome real. Vagina. A vagina não deveria ser tabu, né? Afinal, metade da população mundial nasceu com ela. E mesmo assim ela ainda fica relegada ao segundo plano, escondida, negligenciada. “Tira a mão daí”, ouvimos quando pequenas. Somos orientadas a não explorar nosso próprio órgão.


Quer uma prova disso? Quantas mulheres realmente olham suas vulvas (parte externa do genital feminino) no espelho? Provavelmente não muitas. Quantas delas acham suas pepecas feias, escuras, fedidas e têm vergonha até de receber sexo oral? Um número maior do que se imagina.


Somos culturalmente ensinadas a ter vergonha das nossas vaginas – até mesmo de usar a palavra vagina. Quantas vezes você já falou a palavra e ficou envergonhada ou foi reprimida: “usa outra palavra, essa é feia”.


Aprendemos que nossas vaginas são coisas feias representadas por uma palavra feia. Homens fazem xixi em mictórios abertos, nós fazemos com as portas fechadas. Somos ensinadas a sequer olhar para ela.

Achar os genitais femininos feios e querer melhorar sua aparência então, um absurdo. Afinal, vaginas e vulvas são feias, certo? ERRADO!


Sua vagina é aquilo o que você quiser para se sentir mais segura, feminina, sensual, bonita, poderosa. É para isso que existe a ginecologia estética, para assegurar que a sua piriquita, chavasca, florzinha, vagina seja exatamente como você quer: funcional e linda.


Existem diversos tratamentos estéticos para os órgãos genitais femininos. Se você cuida do seu rosto e do restante do seu corpo, por que não cuidar adequadamente da genitália, não é mesmo?


Muitas mulheres sofrem com a flacidez dos lábios, especialmente após uma grande perda de peso ou por conta da idade, para isso é possível fazer aplicações que melhorem a aparência.


Se o problema são os lábios assimétricos ou clitóris muito grandes, é possível fazer a correção cirúrgica e deixá-los do jeito que você quer. O escurecimento da pele pode ser atenuado por meio do laser ou peeling.


E se você quiser intensificar o ponto G, aquele responsável pelo prazer, a ginecologia regenerativa também pode te ajudar.


Parece superficial? Não é. Autoestima, libido e prazer sexual estão intimamente ligados para as mulheres. Segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, as qualidades psicológicas mais eróticas são a autonomia, a autoestima e a empatia.


O desejo é algo que não despertamos apenas no parceiro ou parceira, mas também em nós e isso não é menos importante, portanto, porque seria achar-se bonita em todos os aspectos?

Rejuvenescimento vaginal

Com o avanço da conscientização sobre a importância do bem-estar e do prazer feminino, os tratamentos para rejuvenescimento vaginal ganham mais força e importância. As mudanças e conquistas da mulher fazem parte desse processo.


O rejuvenescimento vaginal é um conjunto de procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos realizados para reverter os efeitos do envelhecimento na região vaginal. Vaginoplastia, himenoplastia (revirginação), peeling, aplicação de toxina botulínica, reposição de estrogênio, redução do capuz do clitóris, injeções de gordura labial e aumento do ponto G estão são tratamentos cada vez mais requisitados nos consultórios ginecológicos.


E isso não tem apenas a ver com o rejuvenescimento estético. Esses tratamentos entre outros melhoram o desempenho e a funcionalidade da vagina contra a atrofia vaginal, o vaginismo (dor vaginal durante a penetração), a incontinência urinária, queda na sensação de prazer, ressecamento vaginal.


Não apenas a menopausa e a idade podem causar essas condições, mas partos vaginais, cânceres e cicatrizes cirúrgicas também – ou seja, isso não é apenas para mulheres que já passaram pela menopausa, pode ser feito por qualquer mulher que queira se sentir melhor com a aparência dos seus órgãos genitais.

Prazer e autoestima

Se prazer e autoestima estão estreitamente ligados, imaginem do que se priva uma mulher que não recebe sexo oral por pudor? Em pleno século XXI isso ainda existe e é um dos maiores motivos pelos quais mulheres não querem receber sexo oral. Por vergonha. Por outro lado, o sexo oral é uma das maiores fontes de prazer para as mulheres.


Cuidar da aparência, da funcionalidade e do próprio prazer é uma maneira de autocuidado, uma forma de bem-estar tão válida quanto comer legumes ou praticar exercícios físicos.


Portanto pegue seu espelho e encare o que tem no meio das pernas, isso também é parte de você e merece seu cuidado e atenção. Funcional e linda, uma verdadeira Diva.


logo-rodape-p.png

Rua do Bosque, 1621 - Ed. Palatino Cj 101 - Barra Funda - São Paulo CEP 01136-001

Contatos

11   3392-4208

Manda um Whats!
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube

© 2020 por Nova Mulher Clínica - Desenvolvimento Obla Digital