logo_nova_mulher-p.png

Ginecologia regenerativa não é só ppk rosinha


A ginecologia estética e regenerativa é um ramo novo e cheio de possibilidades para quem quer deixar a ppk mais bonitinha e para quem precisa recuperá-la após problemas de saúde


Você já ouviu falar de ginecologia regenerativa? Não?


Mas aposto que já ouviu falar sobre aquelas famosas que fazem clareamento para ficar com a ppk novinha e das que ficam “virgens” de novo, né? Pois isso é ginecologia regenerativa e você certamente já ouviu algo sobre isso ou leu em uma revista de fofocas. Mas, como diz aquele anúncio famoso de TV, não é só isso.


A ginecologia regenerativa pode ser estética ou funcional. Esse ramo da ginecologia se refere a tratamentos que cuidam da parte estética, mas também da funcionalidade dos genitais femininos, que pode se degenerar por conta de inúmeros fatores, como menopausa, quimioterapia e tratamentos hormonais diversos.

Tipos de tratamento da ginecologia regenerativa funcional e estética

Existem diversos tipos de tratamento que fazem parte do leque da ginecologia regenerativa e todos eles têm como função primordial a autoestima, o conforto e o bem-estar da mulher, seja por meio da melhora da aparência ou da devolução da funcionalidade total dos órgãos genitais – o que inclui prazer sexual.


Os tratamentos podem ser cirúrgicos, como a redução dos lábios vaginais, que podem ser assimétricos e a himenoplastia, a reconstrução do hímen que deixa a mulher “virgem” de novo.


Alguns tratamentos como clareamento com laser e até mesmo botox para a vagina (que auxilia nos casos de atrofia vaginal) podem ser feitos pela ginecologista especializada em regeneração e estética.


O rejuvenescimento íntimo é uma das modalidades mais buscadas, que dá um up na vagina e nas partes íntimas ao clarear manchas e diminuir a flacidez dos lábios vaginais que, como tudo, no nosso corpo, começa a cair um pouco com o passar dos anos.


O que para uns pode parecer frescura, para as mulheres que buscam esses procedimentos é como uma segunda chance.


O que pode ser tratado com a ginecologia regenerativa

A ginecologia regenerativa atua em casos que vão muito além de querer uma vagina bonitinha – embora também sirva com muito sucesso a esse propósito.

Veja algumas condições que podem ser tratadas com o auxílio da ginecologia regenerativa:

  • Incontinência urinária

  • Traumas obstétricos, como cicatrizes mal curadas de episiotomia (a laceração do períneo que acontece acidentalmente ou feita pelo médico na hora do parto)

  • Alterações anatômicas inatas, como lábios vaginais muito grandes ou assimétricos

  • Atrofia genital

  • Manchas e escurecimento genital

  • Sequelas cirúrgicas em geral

Autoestima e conforto

O encontro da ginecologia com a medicina regenerativa é, portanto, uma mudança no jogo da saúde, bem-estar da mulher – especialmente das mais velhas. É a possibilidade de voltar a fazer sexo com prazer e sem vergonha, é a contenção urinária que consegue ser controlada e faz com que a vida volte a normalidade é a ausência de dores e incômodos em situações que deveriam ser naturais e é também uma dose extra de segurança e autoestima para quem quer mudar algo na aparência das suas partes íntimas.


Todo o cuidado que se tem com a pele do rosto, é possível ter também com a pele e tecidos genitais. Que também são uma parte importante do corpo, não é mesmo?

O importante é sentir-se bem, confortável, sem dores, bonita, sexy e pronta para o que a vida tiver a oferecer, sem precisar prender-se às cicatrizes do passado (que muitas vezes são físicas, reais, literais). Viver e não ter a vergonha de ser feliz e de fazer o que for necessário para que isso aconteça, essa deve ser a prioridade.


logo-rodape-p.png

Rua do Bosque, 1621 - Ed. Palatino Cj 101 - Barra Funda - São Paulo CEP 01136-001

Contatos

11   3392-4208

Manda um Whats!
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube

© 2020 por Nova Mulher Clínica - Desenvolvimento Obla Digital