logo_nova_mulher-p.png

Prevenção do câncer de mama é um ato de amor próprio


Câncer de mama tem cura e se descoberto no início pode ter chances ainda maiores de um tratamento bem sucedido, aprenda a reconhecer os sintomas


O câncer de mama é o tipo da doença que mais acomete mulheres no Brasil e no mundo. Segundo informações do INCA (Instituto Nacional do Câncer), esse tipo de câncer responde por 28% dos casos novos da doença nos últimos anos. Um número bastante significativo, não é mesmo?


A maneira mais eficiente de fazer a prevenção do câncer de mama e detectar nódulos e anomalias de maneira precoce é por meio do simples, mas muito eficaz, o famoso e essencial exame de toque. Nem todos os tipos de câncer de mama podem ser detectados por meio do autoexame, mas essa é uma maneira excelente para você conhecer o seu próprio corpo e aprender a reconhecer quando existe alguma coisa diferente que precisa ser investigada mais a fundo.


Afinal de contas, quanto mais cedo o câncer ou quaisquer nódulos que possam se tornar cancerígenos forem detectados, maior é a chance de sucesso do tratamento. Mas vale lembrar que o autoexame é apenas um reconhecimento inicial, que não substitui os exames clínicos e de imagem, como a ultrassonografia de mama e a mamografia.


Aprenda a fazer o exame de toque:

O que procurar no autoexame de mama?


Fazer o autoexame é simples, mas você sabe reconhecer os sinais de anomalia que devem chamar a sua atenção?


Os sinais e sintomas do câncer de mama podem incluir:

  • Nódulos ou espessamento em uma parte, diferente do restante do tecido;

  • Mudança no tamanho, forma ou aparência de um seio;

  • Alterações na pele sobre o peito, como covinhas;

  • Um mamilo recém-invertido;

  • Descamação ou crosta da área pigmentada da pele ao redor do mamilo (aréola) ou pele da mama;

  • Vermelhidão ou mudança de textura da pele do seio, como a casca de uma laranja.

Se achar algum desses sinais e eles perdurarem, procure um médico para investigar. Procure evitar fazer o autoexame de mama durante a menstruação ou os dias que precedem o período menstrual, pois inchaços e mudanças nas mamas são comuns nessa fase do mês.

Existem causas para o câncer de mama?

O câncer de mama, como todos os outros tipos de câncer, não é transmissível e também não existe uma só causa identificada para o desenvolvimento do câncer de mama, porque, afinal, o câncer é uma mutação celular relativamente aleatória. Mas há, sim, alguns fatores que aumentam o risco do surgimento da doença, como:

  • Ser mulher – apesar de parecer bastante óbvio, não é. Existe o câncer de mama masculino, embora seja menos comum. Mas as mulheres são muito mais propensas do que os homens a desenvolverem o câncer de mama.

  • Envelhecimento – o risco do aparecimento do câncer de mama aumenta com o passar dos anos, quanto mais velha for a mulher, maior é o risco.

  • Histórico de câncer de mama - se você já teve um carcinoma lobular in situ ou hiperplasia atípica da mama, você tem um risco aumentado de câncer de mama. E se teve câncer de mama em uma mama, a chance de desenvolver a doença na outra mama também é maior.

  • Histórico familiar de câncer de mama – se sua mãe, irmã ou filha foi diagnosticada com câncer de mama, seu risco de câncer de mama aumenta.

  • Mutações genéticas – certas mutações genéticas que aumentam o risco de câncer de mama podem ser transmitidas de pais para filhos. As mais conhecidas são denominadas BRCA1 e BRCA2. Esses genes podem aumentar muito o risco de câncer de mama e outros tipos de câncer, mas não tornam o câncer inevitável.

  • Exposição à radiação – pessoas que fizeram tratamentos de radiação no peito quando criança ou adolescente têm mais chance de desenvolver câncer de mama.

  • Obesidade – o sobrepeso aumenta o risco de câncer de mama, que é “alimentado” pela gordura.

  • Menstruação precoce – meninas que têm sua primeira menstruação antes dos 12 anos tem risco aumentado para o desenvolvimento de câncer de mama.

  • Menopausa com idade avançada – isso acontece com quem para de menstruar mais tarde do que a média.

  • Ter seu primeiro filho em uma idade mais avançada - mulheres que dão à luz seu primeiro filho após os 30 anos de idade podem ter um risco aumentado de câncer de mama.

  • Nunca ter estado grávida - mulheres que nunca estiveram grávidas têm maior risco de câncer de mama do que mulheres que tiveram uma ou mais gestações.

  • Bebidas alcoólicas – beber álcool aumenta o risco de câncer de mama.

logo-rodape-p.png

Rua do Bosque, 1621 - Ed. Palatino Cj 101 - Barra Funda - São Paulo CEP 01136-001

Contatos

11   3392-4208

Manda um Whats!
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube

© 2020 por Nova Mulher Clínica - Desenvolvimento Obla Digital